Jornalista Guilherme Kalel

Inicio

Genisys - Capítulo especial de Pré-estreia


Foto / G7 Press - Piter e Mya Sheng aparecem em fase adulta de suas vidas após terem injetadas substância de envelhecimento precoce
Por Guilherme Kalel
Publicação Editora Royal Express Online

Para que possa entender Genisys, é necessário que antes leia seu 1º capítulo de pré-estreia
Caso já tenha o feito, continue a seguir:

Eu tinha apenas 5 anos de idade e deveria ser uma criança comum.
Mas a verdade é que eu não era.
Eu não ia a escola e tudo que aprendia me era me ensinado através de professores particulares.
Vivia numa espécie de laboratório científico que meu pai, dizia que era o nosso lar.
Ele sempre disse que eu e outras pessoas como eu, desenvolvidas ali, éramos estranho aos olhos dos outros.
Era perigoso sair, conhecer o mundo, até que estivéssemos de fato prontos para fazer aquilo.
O melhor que tínhamos a fazer, era nos conhecer, ver nossa força, fraquezas, limitações, e aprender a cada uma delas pra sermos mais fortes.
Nossa força poderia nos unir, a fraqueza nos destruiria por completo, como aconteceu com ele antes.

Os meus dias se resumiam entre intermináveis lições, a ver câmeras com pessoas congeladas, e ver meu pai desenvolvendo a sua pesquisa.
Embora eu não entendesse de nada, para que elas serviam ou o que pretendia ele fazer com elas no futuro.
Numa noite eu escutei ele falando com os outros pesquisadores, era preciso ter cuidado cautela.
Cone os traiu, e roubou 8 seres geneticamente modificados do laboratório antes que pudesse fugir.
Mostrou eles ao governo norte-americano e agora o mundo saberia em questão de tempo, o que estavam por fazer ali.
Era necessário que todos os membros da pesquisa Genisys, fossem encapsulados nas máquinas congelantes, e que essas máquinas fossem levadas ao subsolo.
Lá ninguém encontrari-as, nem mesmo Cone que conhecia aquele lugar, porque o subsolo foi projetado depois que ele saiu, como válvula de escape.

Me lembro de perguntar para o meu pai, o que estava acontecendo e por que estávamos fugindo.
Ele me disse que aquilo não era fugir mas sim alto preservação.
As pessoas raramente entendiam as coisas, e elas lutavam contra o que não podiam compreender.
Queriam destruir com armas químicas e biológicas, com tiros e bombas, tudo o que lhes parecesse ser diferente ou uma ameaça.
Nós éramos a ameaça, e por isso Cone estava ali.
Eu disse a ele, eu posso vê-los, se fechar meus olhos, vejo os carros chegando.
São dezenas de homens com armas nas mãos e Cone a frente deles, com 8 Genisys adultos.
Fortes, prontos a atacar, não vamos sobreviver.
Não se não nos unirmos.

Me levantei, saí de perto de meu pai e fui acordar Mya, um pouco mais velha que eu na aparência mas criada em mesma época, nela foram usados aceleradores para que pudesse demonstrar aparência mais jovial. porém não tão jovem quanto a minha, de uma criança de 5 anos.
E eu disse a ela, eles estavam vindo, iam invadir a nossa casa e destruí-la.
Chamamos os outros, o que podiam lutar, apesar de serem também crianças.
Estávamos ali rapidamente e formávamos uma corrente de proteção.
Cone ao entrar no laboratório, se deparou com cada um de nós, impedindo a sua passagem até meu pai.
"Que vergonha, colocando crianças a o proteger", disse ele para Norton.
Não era o que estava acontecendo, e eu repetia.
"Essa casa é nossa casa, e aqui vocês não entrarão."
Os meus olhos começaram a brilhar, e o mesmo com Mya, e o mesmo com os outros.
E então o tempo parecia começar a virar, uma tempestade começou a se formar lá fora, veio um tornado muito feio, e os homens que os acompanhavam, assustaram-se.
Atiraram em nossa direção, mas desviávamos de suas balas e lutávamos contra eles.
Socos, chutes, com o que pudéssemos nos defender.
Os 8 fugitivos do projeto Genisys então ficaram a nossa frente.
Eles estavam em sua fase adulta e nós, éramos crianças dando surra em adultos sem qualquer poder.
Mas os olhos deles também começaram a brilhar, fogo e ventos saiam deles.
E vinham a nossa direção sabendo que eles poderiam nos ferir.
Ninguém soube, mas eu nunca senti tanto medo.
Mya veio para perto de mim e por um instante eu parecia estar seguro.
"Eu sempre estarei aqui, com você."
E nós nos demos as mãos.
E os nossos olhos agora brilhavam juntos e nossos corações, batiam como se fossem em um só, como numa fusão perfeita que Norton assistia, hora sem entender, hora sem acreditar.
Mya e eu, enfrentamos os seres geneticamente modificados, e derrotamo-nos um a um.
E ficamos frente a frente com Cone.
Eu disse a ele que ele deveria morrer pelo que fez a nós, por toda aquela destruição que causara.
Mas ele disse, que nós fizemos aquilo, a tempestade que formamos, agora castigava a China e as pessoas estavam em perigo.
Eu disse a Mya, era hora de sair, não poderíamos mais nos esconder, e precisávamos assumir a nossa fase adulta o mais brevemente possível.
Eu bati com a cabeça de Cone em algum lugar e o deixei ali desmaiado.
Os homens que vieram com ele morreram, e só então percebi que Norton estava ferido.
Um dos tiros avia acertado a sua jugular. Ele sangrava provavelmente até que morresse.
E ele me disse, que sonhou em mudar o mundo, que construiu os seres Gems, para que nunca mais famílias passassem pelo que ele passou.
E contou a mim e a Mya, o que houve com sua esposa, com sua filha, o câncer.
O verdadeiro motivo de nós existirmos.
Nós éramos a cura, nós éramos a vacina, para aquela maldita doença.
Mas, ao por nossos órgãos no corpo daquelas pessoas doentes, provavelmente nos matariam, e ao por nosso sangue nelas, provavelmente elas se transmutariam e se transformariam
em seres também geneticamente modificados.
Era essa a próxima fase da pesquisa, que ele nunca ia poder enxergar, ver ou enxergar.

Norton pediu que eu retirasse de seu bolso um frasco, e me disse que naquele conteúdo, estava um composto de pedras preciosas usadas na nossa composição.
Nosso DNA, era majoritariamente composto por aquilo, e nós precisaríamos daquilo se quiséssemos continuar vivos, precisávamos fugir dali, e esquecer a pesquisa.
Norton fechou os olhos e morreu, mas o sacrifício que ele fez não poderia ter sido em vão.
Apenas um pesquisador restara de sua equipe, um jovem rapaz.
Eu perguntei a ele se ele saberia manusear todo o equipamento e ele me disse que sim, e então eu disse a ele que era hora de nos mantermos em segurança no subsolo.
Depois que a tempestade passasse em Xangai, nós iríamos encontrar um outro lugar, e o projeto Genisys iria recomeçar.
Ele não poderia morrer com Norton Sheng, era valioso demais para que isso acontecesse assim.
Chan me disse que até poderia concordar comigo, mas quem ia ouvir uma liderança vinda de uma criança de 5 anos de idade?
Ou de uma outra vinda de uns 12, como aparentava ter Mya?
"É por isso que você vai nos ajudar Chan, vai nos envelhecer, agora."
"Eu não posso fazer isso, eu não sei o que isso poderia implicar e não sou tão avançado quanto Norton Sheng para saber.
Eu não sei a composição de preciosidade certa, para que vocês se tornassem mais velhos e mais ágeis, rápidos, sem perder seus poderes, e ao mesmo tempo, sem morrerem nesse processo."
"Mas nós vamos descobrir, pegue uma seringa."
Um pouco do liquido que me foi dado por Norton Sheng, antes de sua morte, eu injetei em meu braço.
Esperamos algum tempo mas nada aconteceu, quando eu comecei a sentir uma dor insuportável.
Uma dor daquelas que eu poderia gritar.
Chan pensava que era um efeito colateral da composição, mas eu disse a ele, não faça nada, que me deixasse, que não me tocasse.
Que Mya ficasse apenas olhando, observando, a dor era como se meus ossos estivessem crescendo.
E de fato era o que estava acontecendo.
Parecia algo incrível e de fato era, mas eu dizia a Mya, estávamos ali por alguma razão, nada poderia ser o acaso.
Naquela altura eu não conhecia Deus, nunca tinha escutado falar nele, nos seus anjos ou santos, ou em qualquer outra coisa mística que pudesse existir na face da Terra.
Eu só acreditava em mim, em nós, em Norton Sheng, no meu pai, e em tudo o que ele criou e passou a desenvolver de maneira tão singular.

O meu corpo começou a crescer, a dor foi diminuindo, e pedi que Chan me trouxesse uma pedra de Ametista, do estoque que havia no subsolo.
Colocando-a sob meu corpo, cessando minhas dores e entrando em contato com ela, eu pude fechar meus olhos e adormecer.
Mya não podia crer que aquilo estava acontecendo, e disse a Chan que Norton talvez tivesse o plano de os envelhecer, por isso guardava aquele frasco no bolso.
Ela também se injetou a composição, e depois pediu a ele que a desse a mais alta dose de anestésicos, para que não gritasse de dor, ou levantasse qualquer suspeitas.

5 dias se passaram, e eu estava acordado, e Mya estava acordada.
Chan parado na porta nos olhando com nossas aparências de 25, 31 anos respectivamente.
E então nos disse que tinha uma pessoa que desejava nos ver.
Fomos a superfície do laboratório, e o Presidente chinês disse que queria falar com o responsável pelas pesquisas.
Norton Sheng estava morto, disse-lhe Chan, mas ele havia deixado outra pessoa em seu lugar.
Ele queria saber, qual de nós era.
Então Mya disse a ele, era a nós dois, nós éramos seus filhos e estávamos ali, para continuar o que Norton começou.
O Presidente chinês, disse que os Estados Unidos o acusava de manter um grupo de terroristas com experiências biológicas em território chinês, o Presidente ia expor isso ao mundo e poderia até iniciar uma guerra, se nada fosse realizado.
Era por isso que ele estava ali.
"Então quer que deixemos o seu país?"
"Não Mya, não quero. Eu quero que lutem essa guerra comigo e que me ajudem a vencer ela.
Mostrando a importância do projeto Genisys ao mundo."
"E como faremos isso?" Eu pergunto.
"Ajudando a pessoa mais importante para a minha vida hoje."
"Que seria?"
"Lara Ping, minha filha, em fase terminal de câncer cerebral."
Olhamos atentamente um para o outro, ficamos imóveis.
"Não era essa a finalidade da Genisys? Não foi para isso que recursos foram empregados?
Vocês devem aí ter alguma coisa, que possa fazer Lara ter tempo de vida para que o projeto enfrente a guerra que vem pela frente, e que depois possa salvar a vida dela."
"Onde está Lara?"
"Em um hospital em Pequim, mas posso leva-los lá."
"Então nos leve Sr. Presidente.
Salvamos a vida de sua filha, em troca de não permitir que invadam ou tomem nosso laboratório".
Embarcamos no jato presidencial rumo a Pequim, com Mya ainda muito assustada.
"Você prometeu uma coisa que nem sabemos se é possível. Se falharmos, não só os Estados Unidos e o resto do mundo, mas a China, a nossa casa vai se voltar contra
nós, percebe
o que isso significa Piter?"
"Lara Mya, Lara.
Eu tenho que a conhecer."
"Como é que é?"
"Eu venho vendo um rosto de uma criança, desde que eu tinha meados de 2 anos de idade. Com 5, via ela jovem, e hoje quando o Presidente Ping falou, o rosto dela veio a minha mente mais uma vez.
Posso não saber o por que, mas tenho a convicção de que preciso conhecê-la."

Desembarcamos em Pequim e vamos ao hospital, Ping entra conosco no quarto e Lara está de olhos abertos.
E eu nunca ia poder esquecer aqueles olhos que sempre me acompanhavam.
"Quem são vocês?"
Pergunta ela para nós.
"Lara, Meu nome é Piter Sheng.
Nasci em Xangai, China. E sou um Ser Geneticamente Modificado, criado em laboratório como esperança para a cura do câncer.
E estou aqui hoje, para salvar a sua vida."
"Ótimo Sheng. Então vamos começar."

Copyright (c) 2019. - Jornalista Guilherme Kalel