30 anos e uma Historia

Por Jornalista Guilherme Kalel

28/07/2020

Mais uma vez, 28 de julho, agora do ano de 2020.
E vem com este dia, 30 anos de minha vida e historia.
Que se escrevem nas páginas em branco da vida, deixando capítulos e capítulos que marcaram e marcarão para sempre a mim, e aos que por minha vida passaram.
Preparei para a data um texto, também presente num vídeo que será publicado ao longo do dia de hoje, que diz assim:

No dia 28/07/1990, eu abria os olhos para este mundo.
Logo os médicos descobriram que nasci com deficiência visual.
E logo eu descobri, que havia um mundo lá fora que eu desejava muito conhecer e desvendar a minha maneira.

Minha infância foi repleta de cuidados, carinhos e dedicação.
Aprendi tudo que precisei para me tornar uma pessoa de bem e de caráter.
Aprendi também a lhe dar desde cedo com as percas que a vida nos proporciona.
E que saudade, é uma palavra que fere mais que qualquer uma outra.

Eu cresci, sabendo que haveriam inúmeros obstáculos a superar.
Desafios a enfrentar.
Que muitas vezes as pessoas não acreditariam na minha capacidade.
E que antes de acreditarem, era preciso que eu mesmo acreditasse em mim.

Quando acreditei o quanto eu era capaz, os desafios pareceram pequenos.
Os obstáculos foram driblados, não importa o seu tamanho.
Meus sonhos foram se tornando realidade.
E eu sempre tendo o apoio necessário para seguir em frente com cada um deles.

Desde muito cedo, sabia o que eu queria ser.
Onde eu queria estar, e o quanto era importante fazer a diferença na vida das pessoas.
Desde cedo, soube que esta caminhada não seria fácil.
E que as vezes os desafios seriam grandes.

Como diz em um filme, “Com grandes poderes, vem grandes responsabilidades.”
E como eu escrevi certa vez, “O que te define, não é aquilo que mostras, mas sim aquilo que faz.”
Por isso sempre me dediquei a fazer o meu melhor.
E todas as vezes que o meu melhor não parecia ser o suficiente.
Me dediquei a melhorar ainda mais.

Assim, realizei feitos inimagináveis.
Atingi objetivos impensáveis.
Vivi plenamente e sem fronteiras.
Não ter a visão, era um detalhe.
Um detalhe que só parecia me fazer enxergar, de maneira muito mais ampla todas as coisas.
Parece um paradoxo sem nexo, mas fazia todo o sentido.
O que os meus olhos do rosto não eram capazes de ver, o meu coração enxergava com propriedade.

Aprendi desde muito pequeno, e até os dias de hoje, a ser assim.
E usar isso como um grande triunfo.
Ser uma raridade, em meio a tantas coisas desafiadoras que é o fato de viver.
E todas as vezes que eu pensei em desistir.
Haviam razões pra me dizer “Desiste não”.
E eu não desistia, eu seguia em frente.

Assim eu descobri,
que a maldade humana não pode ser maior do que a força da verdade.
Que são as simples coisas da vida, portadoras de verdadeira beleza, que nos proporcionam momentos reais de alegria.
Que amar, é muito mais que dizer eu te amo.
Que para se provar o amor, é preciso ações que demonstrem o quanto esse sentimento importante, valioso, está dentro de nós.

30 anos se passaram.
De um bebê um dia entregue a Nossa Senhora de Aparecida.
De modo sempre a cuidar de meus caminhos.
Me transformei.
Virei um homem, fui pai, sou Jornalista.
Com muito orgulho.
Que orgulho tenho do trabalho que todos os dias eu executo.
Que amo, que sou apaixonado, e que agradeço a Deus por fazer.
A Deus e a todas as pessoas que acreditaram no meu potencial.
Que me incentivaram a nunca desistir de meus sonhos.
A chegar aqui.

Pessoas que me deram pequenos ou grandes empurrões.
Que hoje me impulsionaram a escrever.
E compartilhar esses momentos com vocês.

Me transformei,
fui desafiado e venci,
provei minhas capacidades,
acreditei em mim,
Aprendi a amar, sempre de maneira incondicional,
trabalhei e trabalho para deixar uma marca, um legado ao mundo,
e uma razão para que meus filhos se orgulhem de mim.

30 anos se passaram.
E estou aqui, pronto e aberto, as novas oportunidades e possibilidades que a vida tem a me ofertar,
aos sonhos que poderei sonhar,
aos que ainda posso realizar.
O segredo é nunca desistir,
sempre tentar,
nunca estremecer,
saber que não estou nem nunca estarei só,
Que posso saltar, correr, pular,
me sentir de certa forma inquebrável,
Pois fui moldado sob um ideal,
e ideais são a prova de balas ou de rupturas.

Finalizo esta postagem, agradecendo.
A Deus pelas oportunidades,
Aos professores que com carinho me conduziram pelo caminho,
A minha família.