20 anos sem vó Lazara

Por Jornalista Guilherme Kalel

02/09/2020

Se há alguns dias, precisamente em 25 de agosto, aqui mesmo escrevi sobre os difíceis momentos atravessados, em 10 anos sem meu avô Otair,
imagine o que poderia dizer agora.
Neste 2 de setembro, completam-se 20 anos que a minha avó Materna, Lazara Rodrigues, esposa de meu avô Otair, nos deixou.
Se 10 anos passaram num flash, 20 então nem se fala.
É uma vida toda bem dizer, longe de minha avó.
Que ao lado de meu avô Otair, não mediu esforços para com meu cuidado.

Desde pequeno, não é segredo, morei com meus avós.
Quando nasci, minha mãe não era casada com meu pai, e eles não chegaram a se casar.
Fui criado por minha mãe e por meus avós maternos.
Sempre tive a presença do meu pai na minha vida, conforme ele podia participar dela.
Mas, as presenças mais constantes eram de vó Lazara e do Vô Otair.

É por isso que ainda hoje, passados anos de suas respectivas mortes,
relembro com saudades e muito amor, aquele tempo.
Um bom tempo, que não vai voltar mais, quando podia os ter aqui.

Um tempo em que, a vida era mais simples, mais leve.
Um tempo que deixou saudades eternas que não vão se cessar, ao contrário.
Só aumentam com o passar de cada novo ano.

Minha avó, hoje só queria poder a dizer, o quanto a amo e é especial na minha vida.
Mesmo que tenham passados 20 anos, não a esqueço um só dia, e nunca esquecerei.
Isso é impossível de fazer.
A Sra. foi uma grande estrela, que fez morada no meu céu.
E hoje, brilha lá no Céu Celestial.
De onde há de olhar por cada um de nós aqui na Terra, iluminando nossos caminhos e passos.
Saudades! Muitas saudades.